Acção Social

Animação em Acção

Animação em Acção

O Chapitô desenvolve desde 1985, um trabalho pioneiro de Intervenção, no campo da acção sócio-cultural.

Animação em Acção é o nome do projecto que se concretiza num conjunto de actividades lúdico-pedagógicas, realizadas diariamente por uma equipa do Chapitô, com crianças e jovens internos em Centros Educativos da Direcção Geral de Reinserção Social, pertencente ao Ministério da Justiça. O projecto teve início no Centro Educativo da Bela Vista, alargando-se mais tarde, ao Centro Educativo Navarro de Paiva.

As crianças e jovens internados sob tutela, apresentam sintomas evidentes de instabilidade emocional e comportamental, uma marcada falta de motivação e um acentuado défice de competências básicas. São, na sua grande maioria, provenientes de bairros sociais degradados e de famílias de condições sócio-económicas e culturais baixas e apresentam características e histórias de vida muito disfuncionais.

Um grupo de animadores/formadores, dois coordenadores e uma retaguarda pedagógica, constituem a equipa responsável pelo projecto Animação em Acção, assente num programa de actividades de características lúdicas, que têm simultaneamente uma orientação pedagógica de efeito integrador com vista a responder às necessidades destes jovens, contribuindo assim para a sua formação, desenvolvimento pessoal e inserção social.

Promovemos a realização de pequenos e grandes projectos individuais e colectivos dando a todos a oportunidade de participar, trocando saberes e experiências de forma socialmente enriquecedora, para descobrir e desenvolver harmoniosamente o potencial de cada jovem através da arte, sobretudo as artes do circo.

Actividades

  • Atelier de Circo
  • Atelier de Capoeira
  • Atelier "Faz-Tudo"
  • Jogos de Mesa
  • Atelier de Dramatização
  • Atelier de Música
  • Jardim e Horta Pedagógica
  • Atelier-de-Jornalismo (Os pensadores)

Mais

  • Ajudar os jovens a desenvolver as suas capacidades de socialização e diálogo com os adultos e com os colegas;
  • Procurar que os jovens se integrem bem no grupo e na instituição;
  • Ajudar os jovens a terem capacidade crítica com eles próprios e com o mundo que os rodeia;
  • Colaborar na animação dos tempos livres dos jovens de modo saudável e construtivo;
  • Desenvolver a capacidade de pensar, planear, elaborar e levar por diante e até ao fim um projecto de trabalho.
  • Contribuir para que cada jovem se descubra a si mesmo e proporcionar um espaço onde cada um possa manifestar-se tal como é;
  • Criar uma dinâmica complementar à do Centro educativo, na área da animação;
  • Incentivar um outro olhar para o ambiente e a abertura à comunidade, facilitando a interiorização de condutas sociais e culturais.